"/>

Notícias - Geral


07/08/2018 - 18h00

Plenária apresenta indicadores de registros e fiscalização do 1º semestre do ano

Sessão ainda trouxe discussões que foram abordadas no último congresso da SBAC e destacou que o projeto "Prescrição com letra ilegível não é legal" já está no ar.

        Impresso


Plenária apresenta indicadores de registros e fiscalização do 1º semestre do ano

Na plenária desta segunda-feira, 06, a gerente de Fiscalização e Registros do CRF-RS, Elisandra Tramontini Tiggemann, apresentou indicadores do setor nos primeiros seis meses de 2018. Conforme os dados, há uma crescente na inscrição de profissionais no Conselho, que passaram de 13.946 para 14.533, e também na de estabelecimentos, que subiram de 8.270 para 8.346.

Neste semestre, o CRF-RS emitiu 6.208 Certidões de Regularidade, 9.747 CR Web e analisou mais de 16 mil protocolos. De acordo com os números, 87% das farmácias, drogarias e hospitais registrados já contam com horário integral de assistência farmacêutica. Entre janeiro e junho foram realizadas 13.233 inspeções pela autarquia, alcançando 94% das empresas do Estado.

E durante 66% das inspeções, o Responsável Técnico (RT) estava presente, o que foi ressaltado pela presidente do CRF-RS, Silvana Furquim. "É um índice que marca uma evolução, pois há alguns anos tínhamos 30, 40% de presença dos RTs nos estabelecimentos. Isso é fruto de um trabalho estratégico do Conselho, inclusive com ações conjuntas de fiscalização, sempre com foco nos estabelecimentos irregulares", comentou.

Publicada em 2017, a Resolução CFF nº 648 alterou o cálculo do perfil de assistência farmacêutica das empresas registradas, que contam com um número correspondente às presenças de farmacêuticos RTs constatadas em inspeções. "Tal legislação colocou uma quantia considerável desses estabelecimentos no perfil 4, mas isso não é considerado negativo", explicou Elisandra Tiggemann, salientando que neste perfil não há dados suficientes para o cálculo de assistência farmacêutica, segundo o CFF. As empresas ainda não possuem o número mínimo de três inspeções nos últimos doze meses.

A plenária também trouxe a fala dos farmacêuticos Luiz Lauer e Alzira Aquino, da Comissão de Análises Clínicas do CRF-RS, que comentaram suas participações no 45º Congresso Brasileiro de Análises Clínicas, realizado em junho no Rio de Janeiro. O evento contou simultaneamente com o 6º Núcleo de Gestão da Qualidade e o 4º Fórum de Proprietários de Laboratórios, e os pontos principais de cada atividade foram examinados na sessão desta segunda-feira, com destaque para o Programa Nacional de Controle de Qualidade, as perspectivas do setor diagnóstico, a gestão profissional para pequenos e médios laboratórios, novas oportunidades da área e a situação da Frente Parlamentar em Defesa do Diagnóstico Laboratorial.

Para finalizar, a reunião de ontem comunicou aos conselheiros que já está em vigor o projeto “Prescrição com Letra Ilegível não é Legal”, do CRF-RS, através da exposição da coordenadora de Comunicação, Diana Lienert. A iniciativa fará um levantamento das prescrições do Estado e os farmacêuticos já podem enviar pelo Acesso Restrito cópias de receitas ilegíveis e fora dos padrões, desde que observados itens obrigatórios, como a supressão dos dados do paciente. Os resultados serão apresentados às entidades de saúde para posteriores iniciativas de sensibilização junto aos profissionais, sempre com o foco no bem-estar da população.


Plenária apresenta indicadores de registros e fiscalização do 1º semestre do ano Plenária apresenta indicadores de registros e fiscalização do 1º semestre do ano Plenária apresenta indicadores de registros e fiscalização do 1º semestre do ano