Notícias - Geral


08/08/2018 - 16h07

Fiscais do Conselho realizam curso de Radiofarmácia

Capacitação é oferecida pelo Conselho Federal de Farmácia, na finalidade de capacitar os agentes das autarquias regionais sobre a fiscalização das atividades de Radiofarmácia no país.

        Impresso


Fiscais do Conselho realizam curso de Radiofarmácia

Os fiscais do CRF-RS, assim como farmacêuticos que atuam em Vigilância Sanitária, estiveram em treinamento na sede do Regional nesta terça e quarta-feira, 7 e 8, efetuando o curso de Radiofarmácia promovido pelo Conselho Federal de Farmácia. A qualificação é ministrada pelos farmacêuticos Ralph Santos Oliveira e Marta de Souza Albernaz, presidente e vice da Associação Brasileira de Radiofarmácia, respectivamente, que também integram o GT de Radiofarmácia do CFF. 

Entre as atribuições privativas do radiofarmacêutico estão a produção, o controle de qualidade, o fracionamento, o armazenamento, a distribuição e a dispensação de radiofármacos por meio do sistema coletivo ou de doses individualizadas e unitárias. A ideia é que os fiscais tenham total compreensão da atividade de Radiofarmácia, para que possam verificar a execução e a presença de responsáveis técnicos farmacêuticos em todos os locais onde se presta esse serviço. 

No curso, os participantes tiveram previamente a leitura de material suplementar, conceitos básicos e aspectos legais de Radiofarmácia e Radiofármacos, além da realização de visitas técnicas. Também foram examinadas as diferenças entre a Radiofarmácia industrial e hospitalar e feitos exercícios, avaliações e estudos de caso. “O curso vem como uma demanda do Conselho Federal de Farmácia, mais especificamente do seu GT de Radiofarmácia, e tem como objetivo principal fazer com que os fiscais dos Conselhos Regionais obtenham conhecimento técnico mínimo para atuar de maneira perfeita no ambiente de Radiofarmácia. A gente vem fazendo esse trabalho ao longo do Brasil, concentrando em algumas cidades, mas abarcando todos os Conselhos para capacitar todo mundo dentro da nova regulamentação da Radiofarmácia”, ressaltou Ralph Santos Oliveira, que também é Doutor em Biotecnologia, analista pleno da Comissão Nacional de Energia Nuclear e professor Adjunto da Universidade Estadual da Zona Oeste.

Para Marta de Souza Albernaz, que igualmente ministrou o curso, a Radiofarmácia já existe há bastante tempo, mas é uma área desconhecida, de modo geral, ao público farmacêutico. Segundo ela, com a legislação da Anvisa de 2009, os Radiofármacos passaram a ser considerados medicamentos, tornando-se uma prerrogativa do farmacêutico, que deve ocupar esse lugar. 

“Só 4 cursos de Farmácia no país têm alguma disciplina relativa à Radiofarmácia, então complementar essa formação é para que o farmacêutico ocupe um espaço que é seu por direito. Há um trabalho ao longo dos anos que vem sendo feito tanto pela Câmara Técnica de Radiofarmácia do RJ, quanto pelo GT da Radiofarmácia do CFF, para desenvolver isso e estimular os agentes fiscais dos Conselhos Regionais a se capacitem na área. Neste ano, o CFF conseguiu organizar o curso para orientar esses profissionais, qualificando eles à fiscalização das Radiofarmácias”, relatou a farmacêutica, que também é Mestre em Ciências Farmacêuticas e Radiofarmacêutica do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da UFRJ.